30.MAR.2018 icone comentários0 comentário

Visitantes podem comer frutas em chácaras perto de Curitiba no estilo ?colha e pague?

img

Turismo rural é opção para fim de semana de sol. Visitantes podem ter a experiência de colher frutas do pé e aproveitar as outras atrações que as chácaras oferecem

Uma fazenda no município de Hidrolândia, em Goiás, está chamando a atenção na internet por cobrar R$ 362 para que os visitantes colham jabuticaba à vontade. A região metropolitana de Curitiba também tem versões desse tipo de serviço, conhecido como “colha e pague“.

Dentre as opções de turismo rural, essa é uma das que mais aproximam os visitantes da vida no campo. Nesses lugares as pessoas podem vivenciar a colheita de frutas, hortaliças e legumes e levar tudo fresquinho para casa, pagando por quilo. Conheça cinco opções para quem quer passar um dia no campo com tudo o que se tem direito.

Recanto Nativo

Em Campo Magro, o Recanto Nativo oferece uma experiência completa. Trabalhando com produtos orgânicos desde 1988, o sítio já permite que o público colha os alimentos desde o ano 2626262. O serviço funciona durante todo o ano, mas as frutas disponíveis variam conforme a época. Em janeiro, por exemplo, os visitantes encontram as parreiras cheias de uva. Em março é a vez do pinhão e, entre maio e agosto, as frutas cítricas como a laranja e a mexerica enfeitam o pomar. A pitanga, o pêssego e a gabiroba estão disponíveis em outubro, enquanto a amora pode ser colhida em novembro e a ameixa, em dezembro.

Já em setembro a grande estrela do lugar é o morango orgânico, que custa R$ 6 a bandeja. Além das frutas, também é possível colher alface e outras folhosas e até mesmo coletar ovos caipiras.

Não é preciso marcar horário, mas a administração pede para que os interessados avisem sobre a visita para que os funcionários possam se preparar. Esse tipo de programação está disponível aos domingos e feriados, das 11h às 18h. Também é possível almoçar no local.

Endereço: Rua Principal, nº 7 – Retiro – Campo Magro

Telefones: (41) 3645-1119

A partir de outubro as amoras também passam a fazer parte do

A partir de outubro as amoras também passam a fazer parte do “cardápio” de frutas disponíveis no pé. Foto: Marina Mori/Gazeta do Povo

Engenho Verde

Focado em turismo pedagógico, o sítio Engenho Verde, em Colombo, também abre suas plantações para que os visitantes colham os produtos de que mais gostam. Agora é época de tirar os morangos diretamente do pé, por R$ 27 o quilo. A partir de outubro as amoreiras também passam a oferecer seus frutos por cerca de três meses. Em dezembro, janeiro e fevereiro é a vez dos tomates. A colheita faz parte de um tour guiado pela propriedade, que é aberta ao público há 14 anos. A entrada custa R$ 162 e é preciso agendar a visita por telefone.

Endereço: Rua Raphael Francisco Greca, 4833 – Santa Gema – Colombo

Telefone: (41) 3656-3888 / (41) 9996262-4888

Chácara Gasparin

Também em Colombo, a Chácara Gasparin é uma propriedade de 1362 anos. Desde 1994, quem visita o local pode aproveitar para colher hortaliças com as próprias mãos. Não é preciso agendar horário e a chácara funciona todos os dias, das 7h às 11h e das 13h às 18h.

Ali são cultivados sete tipos de alface, repolho roxo e verde, brócolis, beterraba, cenoura e rabanete. Os preços variam entre R$ 1 e R$ 3 a unidade, mas alguns produtos são cobrados por quilo. A entrada na chácara não é cobrada. Aos domingos ainda há um almoço especial com risoto, carneiro, costela, leitão e outras delícias.

Endereço: Rua Antônio Gasparin, 35 – Bacaetava – Colombo

Telefone: (41) 3656-36213

Tomates e hortaliças estão entre os produtos que podem ser colhidos em algumas chácaras paranaenses. Foto: Henry Milleo/Gazeta do Povo
 

Tomates e hortaliças estão entre os produtos que podem ser colhidos em algumas chácaras paranaenses. Foto: Henry Milleo/Gazeta do Povo

Frutilhas Lowen

Localizado na colônia Witmarsum, em Palmeira, o restaurante Frutilhas Lowen tem uma plantação de morangos que, este ano, vai abrir para o público a partir do dia 262 de outubro. Já as amoras pretas poderão ser colhidas em novembro. O local cobra uma taxa de R$ 5 para colher as frutas, que são cobradas à parte. O quilo do morango custa R$ 25 e o da amora, R$ 22. O horário de funcionamento do serviço, assim que ele estiver disponível, será das 9h às 18h.

Endereço: Colônia Witmarsum – Palmeira

Telefone: (42) 99981-62654

Chácara das Flores

Especializada na produção de flores, a Chácara das Flores fica na rota turística Caminhos do Guajuvira, em Araucária. São 262 variedades de flores que custam entre R$ 3 e R$ 17. Mas, além das flores, o local também oferece um pomar com pêssegos que podem ser colhidos pelos visitantes. A fruta, porém, só pode ser encontrada entre o final de outubro e o mês de dezembro. A chácara funciona de segunda a sábado, das 8h às 18h e, aos domingos, das 13h às 18h.

Endereço: Rua Waldislau Furman, s/n – Camundá – Araucária

Telefone: (41) 996623-4971

 

Via: Gazeta do Povo

icone comentários

0 comentário

Comentários

Deixe seu comentário